9 de julho de 2016

Diário de uma Viajante Inexperiente: Alemanha


       Acordei cedo, numa Amsterdã bem chuvosa. Não queria me despedir daquela cidade, sabendo que não visitei muitas belezas que existem nela. Mas lá fui, com a minha mala companheira, para o meu último destino: Alemanha.

    Nossa primeira parada foi em Colônia, onde está a catedral de Colônia. Incrivelmente linda, detalhista e enorme. Pelo pouco que entendi do guia espanhol, o material com que ela foi construída suja muito fácil e rápido, por isso ela tem essa aparência. Mas é uma construção que vale muito a pena conhecer. 

    Depois de uma pequena parada no Mc Donalds para comprar meu almoço, fomos para o rio Reno, fazer um passeio de barco. Conseguimos ver muitos castelos, e uma paisagem incrivelmente linda da Alemanha. Com direito a um almoço com muita salsicha.

     Mais tarde, embarcamos para Frankfurt, que fica bem perto dali. Ali ficaria nosso hotel e o aeroporto no voo de volta. Paramos em uma praça onde estava cercada de bandeiras com as cores do arco-iris, e muitas, MUITAS lojas de Souvenir. Além de uma loja INCRÍVEL com várias coisas diferentes e divertidas (e caras). Surtei com um bloco de anotações de lego.
    A parte chata é que domingo tudo fecha muito cedo e nosso hotel era bem longe de lojas e coisas para fazer. Acabou que passamos os últimos momentos na Alemanha jantando no hotel mesmo, e conversando. O que foi muito bom, pois ficamos amigos e parceiros de viagens por alguns dias, e será muito difícil reunir todos novamente. 


      No dia seguinte, guardar tudo, e mais horas e horas de viagem até a minha casa. Com toda certeza foi bem mais tranquilo que a ida. Devo admitir que já estava com saudades dos meus pais e do meu quarto. 

      Hoje faz um ano que parti nessa experiência maravilhosa. Nesse sonho que foi conhecer tudo aquilo que só via na televisão ou na internet. Até hoje vejo as fotos e me emociono pela experiencia que tive. 

22 de junho de 2016

[Resenha] Azeitona, do menino Bruno Miranda

                                                           5/5
Sinopse: Ian e Emília não trocaram mais que duas palavras desde que começaram a estudar juntos, mas é o nome dela que vem à mente dele quando precisa de uma parceira para um plano mirabolante: participar de um reality show sobre casais adolescentes que vão ser pais. Isso em troca de um cachê capaz de resolver todos os seus problemas. Ian tem dezesseis anos e foi criado pela irmã, Iris, que precisou abrir mão de oportunidades na vida para cuidar dele. Agora, quando ela finalmente vai conseguir se formar na faculdade, ele se sente na obrigação de retribuir de alguma maneira. Emília, aos dezessete anos, não quer retribuir nada a ninguém – pelo contrário, seu sonho é sair de casa o quanto antes para não discutir mais com a mãe, com quem sempre teve uma relação conturbada. O fato de que eles não são um casal nem têm planos de ter um bebê de verdade parece apenas um detalhe. Mas a vida reserva surpresas, nem sempre boas, para quem acredita que é fácil inventar a própria história.

    Azeitona é o romance de estreia do Bruno Miranda, do antigo canal Minha estante, que falava sobre o universo literário, e do atual canal de comédia Bubarim. Quem acompanha ele, sabe o quanto engraçado e criativo ele é. Isso refletiu muito no livro.

     A sinopse já é bem auto explicativa. Enquanto acompanhava a sua irmã  Iris numa consulta ao obstetra, a produtora de Novos Pais, Catarina, ofereceu o trabalho a Ian. Sem saber muito bem o que fazer, mas sempre pensando naquele enorme cachê que ajudaria muito ele e Iris, ele acabou topando, e colocando o nome de Emília no meio.     

     Ela, por outro lado, nunca se deu bem com os pais, e seu foco era sair de casa. Mesmo trabalhando na confeitaria de sua mãe, ia demorar muito para juntar o dinheiro necessário. Acabou entrando na onda de Ian, e aceitando participar do programa. 

19 de junho de 2016

Eu Assisti: Zootopia

    Sabe aquele filme que você assiste por acaso, mas acaba se tornando um dos melhores do ano? Até que vi bastante propaganda de Zootopia, e muita gente elogiando. Mas eu estou tão focada em Procurando Dori, que nem tive muito interesse em assistir. Isso foi até o filme começar. 

      O filme começa com um teatrinho, onde Judy Hoops, nossa protagonista, fala sobre os predadores e presas vivem em harmonia, e que você pode ser o que quiser nessa nova evolução dos animais. No caso, ela quer ser uma policial!

     A trama é baseada nesse preconceito, em que um animal tão pequeno possa combater o crime. Ninguém a leva a série, e ela acaba sendo uma guarda de trânsito. 

    Para provar seu valor, Judy se oferece para um caso de um furão desaparecido. Para isso, ela vai contar com a ajuda de uma raposa muito espera, o Nick! (Vamos conhecer esse personagem malandro antes mesmo do caso. 

     Porém, os dois vão descobrir que isso não se trata de um simples caso de desaparecimento, mas de uma reviravolta na história, e que o culpado é a pessoa menos provável. 

     a história é engraçada do início ao fim. As referências que o filme trás são incríveis. Desde Frozen até o Poderoso Chefão. Os Easter Eggs são fáceis de achar, e são muitos. 

9 de junho de 2016

Diário de uma Viajante Inexperiente: Holanda (Parte 2)

    Segundo dia em Amsterdã! Acordei bem cedo para o tour pela cidade. Fomos até um moinho, que são bem famosos nessas áreas. Confesso que não consegui ver a paisagem pela janela do passeio, porque dei várias cochiladas.


    Paramos no mercado das flores, onde tem, além de milhões de lojas de souvenir, todo o tipo de semente de flores e plantas que você possa imaginar. Principalmente as famosas tulipas da Holanda. É um lugar lindo, na beira do canal, então é possível ver os barcos passando, na frente daquelas casinhas típicas de Amsterdã.
      Depois, fomos até uma fábrica de diamantes, babar um pouco naqueles anéis e colares maravilhosos, e ficar na vontade de comprar tudo aquilo. a fábrica era do lado do letreiro I amsterdam, que é bem famoso lá, e sempre tem TODOS os turistas do mundo tirando foto. Foi quase um milagre tirar uma foto sozinha.

26 de maio de 2016

Eu Assisti: O Caçador e a Rainha do Gelo

    Finalmente consegui assistir esse filme! Depois de já ter desistido, pois em todos os cinemas que eu procurei, só tinha opção dublado. Sem condições!

    Enfim, vamos ao que interessa:

    Uma parte do filme acontece num tempo antes do primeiro filme Branca de Neve e o Caçador. Mostra a história da Ravenna (Charlize Theron), matando seu marido, o rei. E como ela fez com que sua irmã Freya (Emily Blunt) liberasse o poder escondido dentro dela, e se transformasse na Rainha do Gelo, num reino onde o amor era expressamente proibido.

     Freya sequestrou todas as crianças e as transformou em caçadores muito habilidosos. Mas é óbvio que alguém teria que se apaixonar para contrariar a rainha.

    O caçador Eric (Chris Maravilhoso Hemsworth, de Thor) e Sarah (Jessica Chastain, de Perdido em Marte), se apaixonam e pretendem fugir do reino juntos. Mas a rainha, que não é boba, age antes que os dois consigam sair. Nisso, Sarah é atingida e morre.

     Anos depois, o espelho mágico da Rainha Ravenna some. E o príncipe (Sam Claflin) vai até o Caçador para pedir ajuda. O objeto está fazendo as pessoas se matarem. E o pior: Freya também está atrás de todo aquele poder.

     Muitos segredos serão revelados, e o quebra-cabeça vai se encaixando a cada minuto do filme. 

23 de maio de 2016

Guerra Civil Book Tag

   Vi essa tag inspirada no filme Guerra Civil (que recomendo muito, diga-se de passagem), no canal da Anna linda, Pausa para um café


1 - Capitão América: Um livro que você entende as referências

Enigmas de Londres - Espíritos do Tâmisa. Tem várias citações durante o livro, inclusive de Harry Potter.

2 - Homem de Ferro: Um livro que você quer, mas é muito caro e só sendo rico pra comprar

Harry Potter: A Magia do Cinema. No lugar mais barato que eu achei estava R$72,00. Não é TÃO caro, mas nessa crise... (hehe)

3 - Homem Aranha: Um livro que agrada todo mundo

Minha escolha é Jogador nº 1. Até agora, não vi ninguém reclamar dele!

4 - Homem Formiga: Um pequeno livro com uma grande história.

Extraordinário. Sou apaixonada por esse livro. (Resenha)

5 - Feiticeira Escarlate: Um livro que pode mudar a realidade 

Como eu era antes de você. Eu tinha uma ideia completamente diferente de pessoas que ficam para ou tetraplégicas, e de como é difícil ir e vir para qualquer lugar. Um simples e pequeno degrau pode privar eles de muita coisa. 

6 - Pantera Negra: Pseudônimo de um grande autor

Apesar de ainda não ter lido os livros, vou de Robert Galbraith, o pseudônimo da J. K. Rowling. 

17 de maio de 2016

[Resenha] Antes Que Eu Vá, de Lauren Oliver

Nota:


Sinopse: Samantha Kingston tem tudo: o namorado mais cobiçado do universo, três amigas fantásticas e todos os privilégios no Thomas Jefferson, o colégio que frequenta — da melhor mesa do refeitório à vaga mais bem-posicionada do estacionamento.


Aquela sexta-feira, 12 de fevereiro, deveria ser apenas mais um dia de sua vida mágica e perfeita. Em vez disso, acaba sendo o último. Mas ela ganha uma segunda chance. Sete “segundas chances”, na verdade. E, ao reviver aquele dia vezes seguidas, Samantha desvenda o mistério que envolve sua morte — descobrindo, enfim, o verdadeiro valor de tudo o que está prestes a perder.

     Esse é o típico livro "não julgue pela capa". Nem pela sinopse, nem pela editora... Uma premissa muito boa, porém, personagens extremamente fúteis. Talvez seja o dia a dia de estudantes de vários colégios dos EUA, mas nessa história não ficou muito interessante.

      Sam, a protagonista, é extremamente popular, tem amigas populares, sai com o garoto mais desejado do colégio e enfim, a vida que todas sonham em ter. Dia 12 de fevereiro é Dia do Cupido no colégio Thomas Jefferson, onde "se mede" a popularidade de cada um pela quantidade de rosas que se ganha. 

    Mas como nem tudo é perfeito, depois de voltar de uma festa na casa de Kent, (seu ex-melhor amigo, porque agora ela é too cool para falar com ele), ela e suas amigas sofrem um acidente de carro, e Sam, que estava no banco da frente, sofre o maior impacto e morre. E então ela acorda no mesmo dia. Dia 12 de fevereiro. Dia do Cupido. 

      Após reviver o mesmo dia tantas e tantas vezes, de maneiras diferentes, Sam começa a perceber que nem tudo é um mar de rosas. Que ninguém é o que parece ser. Principalmente seu namorado Rob, e sua melhor amiga Lindsay. 

     Depois de perceber que o destino está lhe dando uma segunda chance para colocar tudo nos eixos, Sam tenta fazer tudo do jeito certo. Como dar mais atenção para a família e a irmãzinha, não colocar suas amigas num pedestal. E principalmente, salvar Juliet Sykes (eu li Skyes durante o livro inteiro). Suas amigas a atormentam e humilham todos os dias. Mandando uma flor falsa no dia do cupido, inventando apelidos. Mas Sam descobre que Lindsay e ela eram grandes amigas anos atrás. E Juliet tem um bom coração. Nada daquilo que todos falavam pelas costas.